Voleibol/Praia

Miguel Maia inicia com Pedro Rosas novo ciclo

12 | 05 | 2009   10.05H

A histórica dupla lusa formada por Miguel Maia e João Brenha terminou em 2009 a sua ligação a nível internacional, mas irá continuar a parceria no Campeonato Nacional e II Jogos da Lusofonia, em Lisboa.

Para o registo ficam os quartos lugares nos Jogos Olímpicos de Atlanta e Sidnei, em 1996 e 2000, as vitórias nas etapas da Bélgica (1998) e Rússia (1999) e o quarto posto no Campeonato do Mundo, no Brasil, em 2003.

Amigos desde os sete anos, irmanados por laços de vizinhança em Espinho e colegas em sucessivas épocas no Sporting de Espinho, Maia e Brenha reconheceram que era chegada a hora de colocar um ponto final.

"Existe uma enorme cumplicidade entre mim e o Miguel e fica um certo vazio, mas é a lei da vida. Tudo tem um fim e a carreira de um jogador ainda é mais breve", defendeu Brenha, que aposta na formação como objectivo futuro.

Miguel Maia, empenhado ainda em marcar presença nos Jogos Olímpicos de Londres'2012, partilha da mesma sensação de vazio, mas recorda que, apesar da parte desportiva internacional ter terminado, "a amizade perdura".

Maia, que se sagrou campeão nacional voleibol pelo Sporting de Espinho, juntamente com Brenha, reconheceu que a nova dupla "não terá vida fácil" no Circuito Mundial, "pois os resultados não vão aparecer de um momento para o outro".

Para além dos laços de amizade, Miguel Maia e João Brenha, que em 1991 venceram o primeiro torneio de dupla realizado em Portugal, comungam ainda de um projecto de abrir uma escola de voleibol, nas vertentes de pavilhão e praia.

Maia e Brenha disputaram juntos 134 etapas do Circuito Mundial de voleibol de praia - a segunda dupla mais consistente era formada pelos suíços Laciga, com 121 - e somaram um total de 510 jogos (243 vitórias).

Miguel Maia apenas por quatro vezes não teve João Brenha por companheiro, recorrendo a Nelson Brízida, para as etapas de Paris e Klagenfurt, em 2005, a Alexandre Afonso, Open de Espinho, em 2000, e a Miguel Soares, Ostende em 1999.

O novo companheiro de Maia é o também experiente Pedro Rosas, que soma 55 presenças em etapas do Circuito Mundial, e que fazia até há bem pouco tempo uma dupla promissora com José Pedrosa.

A melhor posição de Pedro Rosas no Circuito Mundial de praia foi o quinto posto alcançado no Open de Marselha, em 2008, juntamente com José Pedrosa, que irá fazer dupla com o estreante Hugo Gaspar.

A nova duupla lusa, que se estreia à terceira etapa de 2009 do Circuito Mundial de praia, fica obrigada a disputar o torneio de qualificação, que tem o seu início marcado para quarta-feira, em Roma.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE