Actualidade

Estudo mostra que um quarto dos sinistrados no trabalho perde direitos

07 | 02 | 2017   10.12H

Um em cada quatro sinistrados no trabalho em Portugal (24,3%) queixa-se de que não consegue fazer valer os seus direitos, destaca um estudo promovido pela associação nacional do setor, em parceria com a Universidade do Porto.

Nas conclusões a que a Lusa teve acesso, refere-se que anualmente "ocorrem cerca de 200.000 acidentes de trabalho em Portugal", que geram "entre seis e sete mil dias de trabalho perdidos (...), implicando importantes custos para os serviços do Estado".

O estudo, que decorreu entre junho e dezembro de 2016, envolveu 366 participantes, dos quais 282 são homens e 84 mulheres. Do total das respostas, 47,3 % são de pessoas da região norte, 28,7 % da região centro e 24 % da região sul. Os participantes tinham, em média, 51 anos de idade.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE