Bombeiros de Lisboa

Assim se salvavam vidas há 100 anos

21 | 02 | 2017   10.57H
O soar das sirenes, as luzes de emergência ligadas, os olhares curiosos, a marcha em alta velocidade, o povo a abrir caminho para o icónico carro vermelho dos bombeiros passar. Já pensou como seria uma missão de salvamento há 100 anos?
Patrícia Susano Ferreira | pferreira@destak.pt

A exposição Há Fogo! Há Fogo! Acudam, acudam! leva-o a partir de amanhã numa viagem ao século passado e à história do combate aos incêndios nacapital quando começou amotorização dos meios de socorro. A iniciativa começa amanhã, às 17h, na praça central do Colombo, em Lisboa, ao som da Banda do Regimento de Sapadores Bombeiros de Lisboa que traz um repertório bem conhecido do público com temas como Rhythm Explosion, Queen Greatest Hits e The Saints Halleluyah; e estará disponível para o público em geral até ao dia 2 de março.

Primeiras viaturas motorizadas

Consegue identificar um Brasier de 1906, um Zust de 1908 ou um Mercedes-Benz de 1931? E se lhe falarmos num Auto Primeiro Socorro em Lisboa, num Auto-Bomba ou num Auto Comandante de Companhia? O Centro Colombo e o Regimento de Sapadores Bombeiros convidam-no a ficar a conhecer cinco exemplares raros das primeiras viaturas motorizadas utilizadas na cidade de Lisboa. Recorde-se que estas peças são representativas de uma nova era tecnológica– a motorização dos meios de socorro – e estão patentes no Picadeiro Real (Belém), antigo edifício do Museu Nacional dos Coches. Da exposição faz ainda parte uma Bomba a Vapor Shand, Manson & Co., do final do séc.XIX, antecessora mecânica das viaturas motorizadas.

Foto: dr
Assim se salvavam vidas há 100 anos | © dr
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE