Patient Innovation

A ciência nas mãos dos doentes

24 | 02 | 2017   10.24H

Ninguém conhece melhor a doença do quem dela sofre. E são os doentes a criar inovação.

Carla Marina Mendes | cmendes@destak.pt

Diogo Lopes sofre de uma doença que, entre outros sintomas, lhe gela as mãos e os pés, impedindo-o de tocar piano. Lisa Crites é mastectomizada e, tal como outras mulheres que, como ela, perderam o peito para o cancro da mama, o risco de infeção impedia-a de tomar banho sem proteção após a cirurgia. Tal Golesworthy tem um defeito genético na aorta e foi informado que teria pouco tempo de vida. Diogo, Lisa e Tal são os três vítimas de problemas de saúde. E os três decidiram criar inovações capazes de melhorar a sua qualidade de vida, partilhadas na plataforma Patient Innovation, que mostra agora, em forma de exposição, que a ciência nem sempre é feita por cientistas.

Diogo criou bolsos aquecidos; Lisa uma t-shirt impermeável e Tal um tecido de malha que envolve a aorta. Estas e outras invenções podem ser conhecidas no Pavilhão do Conhecimento, em Lisboa, numa exposição de entrada gratuita (até 26 de março) que apresenta a Patient Innovation, a plataforma onde, explica ao Destak Pedro Oliveira, um dos mentores deste projeto da Católica Lisbon School of Business and Economics, «as pessoas submetem soluções que ajudam a lidar com a sua doença».

A ideia nasceu em 2014 como mais um projeto de investigação. «De repente tivemos mais de 50 mil pessoas a partilhar ideias», refere o professor universitário. «Ninguém diria que ia ser assim e a plataforma passou a ser um projeto para ajudar as pessoas, que conta já com mais de 700 inovações aprovadas.»

O processo é simples: o doente (ou cuidador) tem uma ideia que pode vir a melhorar a sua vida – e de muitos outros –; submete essa ideia e há uma equipa médica que a avalia e valida. Depois, a plataforma ajuda na concretização da mesma. «Aquilo que fazemos é juntar pessoas de áreas diferentes», refere Pedro Oliveira, que confirma o apoio dado para que o doente leve «a solução desenvolvida para o mercado».

Foto: DR
A ciência nas mãos dos doentes | © DR
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE