Ricardo Bramão

Saiba tudo sobre o Talkfest, o festival que fala sobre festivais

07 | 03 | 2017   12.38H

Nos dias 9 e 10 de março, realiza-se a 6º edição do Talkfest - International Music Festivals Forum no Museu das Comunicações e no Musicbox, com novidades em diferentes secções.

Filipa Estrela | festrela@destak.pt

O Destak esteve à conversa com Ricardo Bramão, fundador da APORFEST - Associação Portuguesa Festivais de Música e diretor do Talkfest para perceber o que está por detrás deste grande evento que se debruça sobre festivais.

Qual é o conceito por detrás do Talkfest? O Talkfest foi evoluindo o seu conceito. Aquilo que começou com conferências e showcases é hoje um espaço profissional a que se juntaram seminários, apresentações (científicas e profissionais), feira de emprego, documentários, concertos e prémios (Iberian Festival Awards), passando a receber também testemunhos internacionais. Mais do que um encontro, o Talkfest é hoje, um espaço de networking e de fortificação de competências.

Como nasceu este evento? O Talkfest existe desde 2012 e surgiu pela necessidade da indústria da música que estava conetada aos festivais não ter um espaço de debate próprio e não juntar os seus players num mesmo espaço para partilha de ideias. O evento é declarado como de interesse cultural do Governo de Espanha e Portugal e isso dá-nos motivação para poder ambicionar mais.

Quais são as principais novidades desta sexta edição? As principais novidades prendem-se com a não repetição de nomes entre os oradores presentes. Queremos chegar a todos os quadrantes da área, mas sobretundo trazer expertize exterior. A internacionalização física do evento foi concretizada, com a gala e jantar dos Iberian Festival Awards a ser realizada em Barcelona e onde serão conhecidos os melhores festivais, empresas e artistas ibéricos de 2016.

A quem se dirige sobretudo? O evento tem cada vez mais uma presença dos players já estabelecidos na área, mais do que serem oradores querem também permanecer no evento para absorver conhecimento e realizar meetings que permite poupar tempo, pelo encontro de todos os que estão na área de alguma forma. O evento é claramente profissional ao longo do dia, mas recebem também estudantes do ensino superior uma vez que estudam a área e têm ideias para desenvolver.

Com uma programação tão vasta, como sugere seleccionar o que ver? Agora que fechámos a programação dos mais de 85 pontos de comunicação, o momento esperado é saber os temas das conferências, a distribuição dos oradores e moderadores e os horários. Em quase todos os horários do dia existirão 4 salas com programação em simultâneo pelo que é importante serem feitas escolhas.

Quais são os speakers que destaca este ano? Além dos internacionais em que destacamos a presença de Thomas Jensen, diretor do Wacken Open Air, alguém muito carismático e que executa o maior festival de heavy metal do mundo. Salientamos ainda presença de entidades governamentais como o Turismo de Portugal ou a Fundação GDA.

Qual o principal objectivo das apresentações profissionais, científicas e seminários? As apresentações científicas servem para dar dados de estudos académicos recentes sobre esta área, é importante discutir as conclusões e saber analisar o que é preciso fazer e evoluir. Nesta secção teremos também a apresentação da APORFEST do "Perfil do festivaleiro e ambiente social nos festivais de música em Portugal" no ano de 2016 que podemos adiantar que traz sinais de um contexto económico próspero que trará consequências positivas para os festivais e o seu consumo nos mesmos. As apresentações profissionais são a indicação de projetos de festivais ou empresas sobre algo que facilitárá a vida nos festivais - teremos novas soluções de streaming e sustentabilidade, mas também temas como o Voluntariado e Alimentação. Nos seminários quisemos ter especialistas a falar de temas como Media Buying, Primeiros Socorros, Fotografia, Ativação de marca e booking. Queremos que os temas dos festivais sejam debatidos a 360º no evento, em todas as suas seções.

Como vê a música e os festivais hoje em dia em Portugal e no mundo? Verificamos que a área dos festivais está a ter um amadurecimento no mundo, mas está ainda em evolução em Portugal. Realizamos a contabilização e tipologia dos festivais de música em Portugal desde 2013 e verificamos que todos os anos se dá um aumento. Preferimos, enquanto diretores do Talkfest e responsáveis pela APORFEST, ter menos festivais mas com um maior grau de cooperativismo, qualidade e competitivade dentro e fora de portas.

Saiba mais sobre:
Foto: DR
Saiba tudo sobre o Talkfest, o festival que fala sobre festivais | © DR
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE