Literatura

O peso da ditadura na obra do escritor Carlos de Oliveira e "a parte submersa do iceberg"

17 | 03 | 2017   10.47H

O escritor Carlos de Oliveira viveu sob a ditadura, ao ponto de afirmar que não tinha biografia, afundada que estava como um iceberg, mas uma exposição que lhe é dedicada traz agora à superfície esse seu mundo interior.

"Pensando bem, não tenho biografia", escreveu Carlos de Oliveira (1921-1981) na abertura do texto "O iceberg", com data de 1966, frase incluída depois em "O Aprendiz de Feiticeiro" (1971) e que sustenta o nome da exposição "Carlos de Oliveira: A parte submersa do iceberg", que abre ao público no sábado, no Museu do Neo-Realismo, em Vila Franca de Xira.

Segundo o curador da mostra dedicada ao autor, o professor Osvaldo Silvestre, da Universidade de Coimbra, essa frase é bem reveladora da dificuldade em separar o elemento histórico do pessoal, no caso de Carlos de Oliveira.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
Saiba mais sobre:
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE