Dúvidas sexualidade

O WhatsApp não serve só para falar

21 | 03 | 2017   10.27H
Chama-se Control Talk, surgiu há meio ano e pretende acabar com os tabus que ainda existem na abordagem que os mais jovens têm em relação a dúvidas de sexualidade.
Patrícia Susano Ferreira | pferreira@destak.pt

O serviço está disponível através do WhatsApp todos os dias úteis, das 18h às 20h, mas a procura é tanta que os jovens chegam a deixar mensagem fora desse horário, para que possam ser contactados posteriormente.

O facto de «a sexualidade ser um tema que os jovens receiam falar com os pais e até com os amigos» é uma das justificações para a procura deste aconselhamento, que usa um método de contacto muito próximo e direto dos utilizadores e que permite que seja estabelecida uma forma de comunicar sem qualquer tipo de vergonha ou outra barreira.

As questões mais frequentes

Além de esclarecer dúvidas sobre o desempenho sexual, preliminares, contraceção, infeções sexualmente transmissíveis e orientação sexual, o Control Talk ajuda a reencaminhar casos em que «seja detetada a necessidade de avaliação clínica». «É importante que os jovens percebam que não fazemos consultas, damos um aconselhamento confidencial que pretende apoiar e esclarecer dúvidas, que podem comprometer a intimidade das pessoas», acrescenta ao Destak a responsável pelo serviço.

Segundo a sexóloga Vânia Beliz, a maioria dos utilizadores tem entre 18 e 20 anos e são tanto raparigas como rapazes, sendo que há alguns jovens que já os contactam com frequência desde o primeiro dia em que o serviço ficou disponível.

«É importante que confiem neste serviço e que recebam informações corretas e objetivas, longe da informação distorcida e errada que tantas vezes existe.» Em média, alinha recebe quatro a cinco novos contactos por dia, sendo colocadas todo o tipo de questões, como o tamanho do pénis, diferentes práticas (sexo oral, sexo anal) e dúvidas sobre a primeira vez.

Foto: dr
O WhatsApp não serve só para falar | © dr
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE