Civismo

Orçamento Participativo Portugal com mil propostas em carteira tem alocados 3ME

19 | 04 | 2017   22.20H

O Orçamento Participativo Portugal (OPP) tem atualmente cerca de mil propostas em carteira, revelou a ministra da Presidência, que aconselhou hoje, no Porto, potenciais participantes num projeto que tem alocados três milhões de euros.

"Façam títulos atraentes porque no fim vamos todos votar. Portanto temos de perceber as propostas que nos são apresentadas (...). E que ganhem as melhores. O Governo compromete-se, goste ou não goste, a executar as propostas vencedoras", apontou à agência Lusa, Maria Manuel Leitão Marques, quando convidada a explicar como estava a correr a interação entre membros do executivo e os potenciais proponentes do OPP.

Esta tarde decorreu na Fundação de Serralves, no Porto, também com a participação do primeiro-ministro António Costa, o último Encontro Participativo que assinala da fase de apresentação de propostas para o Orçamento Participativo Portugal, uma iniciativa da qual sairão vencedoras oito propostas - uma por cada região continental, uma por cada região antónima e uma de âmbito nacional - estando alocado um total de três milhões de euros (375 mil euros para cada projeto).

Na sessão participaram vários membros do Governo, que conversaram com os participantes, receberam as suas propostas e retribuíram com conselhos. A ministra da Presidência e da Modernização Administrativa pediu, por exemplo, para que as propostas não fossem vagas e relatou ter ouvido "ideias muito interessantes".

"Podemos falar em inclusão digital para adultos, mas podemos dizer 'vamos pôr as pessoas com mais de 80 anos a falar pelo skype' - e há tantas pessoas que têm os filhos fora e não sabem que de forma gratuita podem falar com a família e estar a vê-los. É algo que se pode fazer com pouco dinheiro", exemplificou Maria Manuel Leitão Marques.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE