Actualidade

Sete organizações pedem libertação de ativistas presos sem acusação na Guiné Equatorial

21 | 04 | 2017   11.49H

Sete organizações dos direitos humanos e de transparência exigiram hoje que as autoridades da Guiné Equatorial libertem imediatamente dois ativistas, que lideram uma organização não-governamental dos direitos humanos no país, presos sem acusação.

A polícia prendeu a 17 de abril Enrique Asumu e Alfredo Okenve, que são respetivamente o presidente e o vice-presidente do Centro para o Desenvolvimento de Estudos e Iniciativas (CEID), mas ainda não houve uma acusação formal contra os dois ativistas.

Já foi ultrapassado o período de 72 horas que a lei da Guiné Equatorial permite que se detenha uma pessoa sem acusação.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE