Actualidade

ACNUR pede a Angola para não fechar fronteiras aos refugiados que chegam da RDCongo

21 | 04 | 2017   12.56H

O Alto-Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) apelou hoje ao Governo angolano para manter as fronteiras abertas à população congolesa que está a fugir da violência naquele país, já mais de 11.000 refugiados só em Angola.

Numa nota a que a Lusa teve hoje acesso, o ACNUR refere que se congratula com a "resposta do Governo de Angola", em manter as "fronteiras abertas para a continuação das chegadas de refugiados" da República Democrática do Congo (RDCongo).

"Esperamos que este gesto de boa vontade continue, enquanto a situação continua terrível na região do Casai, na RDCongo. O ACNUR também sublinha a importância de não devolver à RDCongo pessoas que necessitam de proteção", refere a organização das Nações Unidas, num apelo ao apoio de Angola.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE