Literatura

Livro de Hannah Arendt sobre Eichmann editado nos 57 anos da captura do criminoso nazi

11 | 05 | 2017   13.57H

As reportagens sobre o julgamento do oficial nazi Adolf Eichmann, um dos responsáveis pelo holocausto, escritas por Hannah Arendt, foram reeditadas pela Ítaca, quando se assinalam 57 anos da captura do oficial nazi, pelos serviços secretos israelitas.

A 11 de maio de 1960, uma equipa de agentes da Mossad capturou Adolf Eichmann, responsável pela deportação de milhões de judeus para os campos de extermínio, durante a II Guerra Mundial. A captura foi feita em Buenos Aires, Argentina, e tinha o intuito de levar Eichmann a tribunal, em Israel.

Nesse ano, Hannah Arendt, filósofa política alemã de origem judaica, já detentora da nacionalidade norte-americana, ofereceu os seus serviços ao redator-chefe da revista The New Yorker para cobrir o julgamento do oficial nazi. Da série de artigos escritos nessa altura, nasceu o livro "Eichmann em Jerusalém --- Uma reportagem sobre a banalidade do mal", cuja publicação em 1963 daria lugar a uma intensa polémica.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
Saiba mais sobre:
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE