PUBLICIDADE
Açores

«Autonomias não põem em causa a unidade nacional»

25 | 05 | 2009   16.35H

«Aparentemente, as autonomias regionais ainda causam alguma preocupação em Lisboa, nomeadamente ao Tribunal Constitucional, porque pensam que põem em causa a unidade nacional, mas não é o caso», afirmou o líder da Casa de Bragança.

Segundo Duarte Pio, «o aprofundamento da autonomia não põe em causa a unidade nacional», defendendo que, «quanto melhor e mais inteligentemente for conduzido este relacionamento entre o centro e as regiões, melhor funciona e menos problemas tem».

Exemplo disso é o caso do Reino Unido, onde as ilhas do Canal «têm mais autonomia (do que as regiões autónomas portuguesas), mas a unidade nacional é muitíssimo forte», afirmou o duque de Bragança , que minimizou a polémica em redor da última revisão do Estatuto Político-Administrativo dos Açores.

«Estes problemas jurídicos podem sempre ser melhorados na Constituição, que está cheia de erros e disparates e, por isso, tem de ser revista», considerou.

Comentando as eleições Europeias, o pretendente da Coroa portuguesa considerou que «tem sido positivo o aparecimento de movimentos cívicos muito interessantes, evitando que o debate fique só entre os partidos políticos».

Duarte Pio, que se encontra nos Açores a convite da Real Associação da Ilha Terceira, manteve hoje encontros oficiais com o Representante da República para os Açores e com os presidentes das câmaras municipais de Angra do Heroísmo e Praia da Vitória.

O duque estará presente, ao final da tarde, na apresentação do livro 'Dom Duarte e a Democracia - Uma Biografia Portuguesa', da autoria de Mendo de Castro Henriques.

A apresentação da sua biografia oficial será feita por Sérgio Toste, secretário da Direcção da Real Associação da Ilha Terceira.

A visita aos Açores terminará com o 'I Jantar do Rei', destinado aos sócios da Real Associação e simpatizantes da causa monárquica.

Destak/Lusa | destak@destak.pt

1 comentário

  • É inacreditável como as pessoas ainda acreditam que a "guerra" entre os partidos do "Bloco Central" é uma "guerra" entre "esquerda" e "direita".
    A Maçonaria Portuguesa tudo faz para que se acredite nisso.
    Mas se pararmos para pensar, chegamos à conclusão que são os políticos destes dois partidos políticos que mais têm "arrecadado" durante estes 35 anos de "pseudo-democracia".
    Estão com os..."BOLSOS CHEIOS"!!!
    Por exemplo façamos a nós próprios a seguinte pergunta:
    "- Quem se tem "safado" à "grande e à francesa" com esta "DEMOCRACIA"?"
    A classe trabalhadora?
    A classe média?
    NÃO meus amigos!
    A classe que tem PROSPERADO, aliás como NENHUMA outra, é a CLASSE POLÍTICA!!!
    Vejam-se alguns exemplos:
    - Jorge Coelho (Mota-Engil);
    - Dias Loureiro (BPN e...);
    - Oliveira e Costa (BPN e...);
    - Santos Ferreira (Millennium BCP);
    - Armando Vara (Millennium BCP);
    - Faria de Oliveira (CGD);
    - Carlos Tavares (CMVM);
    - Vítor Constâncio (Banco de Portugal);
    É preciso mais?
    Meus amigos e compatriotas...desenganem-se!
    Enquanto a MAÇONARIA estiver no PODER (Governativo, Financeiro, Empresarial, etc, etc.) PORTUGAL nunca mais sairá da "cêpa torta"!
    É que esta gente não está nunca, nos lugares que ocupam, para...SERVIR!
    Eles (os maçons) estão SEMPRE, mas SEMPRE, para se...SERVIREM!
    Uma boa tarde
    (um dos bloguistas da Equipa do Bar do Alcides)
    Publicada por Bar do Alcides
    Bar do Alcides | 25.05.2009 | 18.26Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE