Actualidade

Parque Arqueológico do Côa quer valorizar património natural

08 | 08 | 2017   14.27H

O Parque Arqueológico do Vale do Côa (PAVC), que assinala 21 anos na quinta-feira, assume novos compromissos, que passam, entre outros, por uma maior valorização do património natural envolvente das gravuras.

"Há vários projetos no sentido de dinamizar o desenvolvimento turístico em torno do PACV e não, apenas, no que diz respeito à arte pré-histórica. Uma das apostas passa pela valorização do património natural, sendo um dos objetivos já inscritos na revisão dos novos estatutos da Fundação Côa Parque [FCP], " disse à Lusa Bruno Navarro, presidente do Conselho Diretivo da instituição.

O PAVC é composto por três núcleos de arte rupestre que são visitáveis: Penascosa, Canada do Inferno e Ribeira de Piscos, que se mantêm abertos a visitas, sendo preciso dinamizá-los para incrementar o acesso de turistas.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE