Estudo

Transpiração excessiva afeta 17% dos jovens

26 | 09 | 2017   23.20H
Patologia tem um impacto psicológico e social, com riscos para a aprendizagem e potenciando o bullying.
Destak | destak@destak.pt

Um em cada seis adolescentes sofre de hiperidrose não diagnosticada, um valor sete vezes superior às estimativas anteriores que reportavam prevalências na ordem dos 1,6% e 2,1%, conclui um estudo internacional a que o Destak teve acesso.

Entre os jovens afetados pela transpiração excessiva e incontrolável, 75% sente-se diariamente incomodado por esta doença.

A hiperidrose é uma patologia que atinge cerca de 5% da população mundial. No caso dos mais jovens, os primeiros sintomas surgem aproximadamente aos 11 anos, ainda que 25% das crianças apresentem manifestações desta doença entre os dois e os 10 anos.

Com o regresso às aulas, urge avaliar o impacto psicológico e social que a hiperidrose assume no quotidiano dos jovens portugueses.

Os especialistas alertam que suar em excesso pode representar uma situação de tensão e stress, chegando a impedir o progresso na aprendizagem.

Do mesmo modo que os dados conhecidos apontam que quem sofre de hiperidrose tem habitualmente mais dificuldade em estabelecer relacionamentos sociais, ao evitar contactos mais próximos com os outros.

No caso dos jovens, os casos de bullying podem ser potenciados.

Foto: DR
Transpiração excessiva afeta 17% dos jovens | © DR
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE