Antevisão

Leões e dragões vão a escrutínio

29 | 09 | 2017   00.51H
Após boas exibições na Liga dos Campeões, Sporting e FC Porto estão confiantes. Portistas só conhecem o sabor da vitória na Liga e leões querem recuperar terreno.
João Moniz | jmoniz@destak.pt

Dificilmente um campeonato fica resolvido à 8ª jornada. Basta recuar dois anos e relembrar que o Benfica, em 2015/16, quando perdeu com o Sporting, parecia figurante de uma história da qual acabou protagonista poucos capítulos depois.

E se as águias então pareciam em pior forma, a verdade é que o clássico deste domingo coloca frente a frente duas equipas cuja qualidade parece ser equivalente neste momento.

Os jogos com Barcelona e Mónaco para a Champions reforçam essa visão, embora só os dragões tenham conseguido os três pontos. E esse até pode ser o tónico para os comandados de Sérgio Conceição recuperarem melhor do esforço físico.

Como praticamente todas as equipas que jogam contra os catalães, os pupilos de Jorge Jesus tiveram de correr muito. Além do mais, o Sporting tem menos 24 horas de recuperação.

E a possível desvantagem até poderia ser maior se a Liga de Clubes tivesse cedido à pressão política e tivesse marcado o jogo para sábado (cumprindo as 72 horas de descanso definidas pelas regras da FIFA...) e não para a noite de domingo.

A partida, que se espera de eleição, dificilmente resultará em maiorias absolutas. Mesmo que o FC Porto ganhe e alargue para cinco pontos a vantagem para o Sporting, o potencial já demonstrado em Alvalade deverá ser suficiente para uma oposição forte.

Mas é indismentível que o capital de confiança aumentaria para um FC Porto já moralizado por sete vitórias em outros tantos jogos. O outro lado também é válido e para o Sporting nada seria mais energético do que finalmente liderar a Liga sozinho.

Duas horas depois deste embate, o Benfica entra em campo nos Barreiros, obrigado a vencer. Outro resultado só adensará a crescente suspeição para os lados da Luz.

Foto: Miguel Barreira
Leões e dragões vão a escrutínio | © Miguel Barreira
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE