Qualificação para o mundial

Um país a apelar ao seu recordista

09 | 10 | 2017   23.01H
Ronaldo está nomeado para mais uma Bola de Ouro e integra o Livro Guinness dos Recordes em 2018. Mas há mais para conquistar. E Portugal conta com isso.
João Moniz | jmoniz@destak.pt

Não somos nós que o dizemos, mas sim Pepe. Quando Portugal perdeu na Suíça, logo na 1ª jornada, «não tínhamos o nosso jogador mais importante, a nossa bandeira, que é Cristiano Ronaldo».

Hoje (19h45 - RTP1), no decisivo encontro com os helvéticos que vai decidir quem garante o apuramento direto para o Mundial do próximo ano, «vai ser um jogo completamente diferente».

A recente partida com Andorra mostrou o quanto Portugal precisa do seu capitão para carburar. Mas também deixou claro o compromisso do mesmo com a equipa.

E há recordes a alcançar, algo que sempre motivou Ronaldo. Desde logo o de melhor marcador da fase de qualificação europeia, título que pertence, por enquanto, ao polaco Lewandowski, com mais um golo.

Além do mais, o apuramento direto para o Mundial certamente que ajudará o avançado do Real Madrid na corrida pela Bola de Ouro. Único português na lista de 30 nomeados ontem divulgada pela France Football, Cristiano Ronaldo quererá igualar as cinco vitórias de Leonel Messi. Algo que também permitiria a Portugal juntar-se a Alemanha e Holanda como os países com mais vitórias: 7.

E nesta luta particular entre os dois astros do futebol atual voltamos à importância do Mundial. Com a Argentina em sérias dificuldades, marcar presença na Rússia poderia colocar o português em vantagem na luta pela Bola de Ouro de 2018, a que poderá servir de tira-teimas com Messi.

Entretanto, ninguém tira outro motivo de orgulho ao português, que ontem soube que vai integrar o Livro Guinness dos Recordes na edição de 2018, por ser o único jogador a ter marcado em quatro europeus de futebol.

Fernando Santos comemora hoje 63 anos e espera uma prenda dos seus jogadores: a qualificação direta. Mas porque «a Suíça é um adversário fortíssimo», o selecionador avisa que «Portugal vai ter que jogar com organização e rigor. Não pode entrar em campo de cabeça perdida, à procura do golo».

Até porque do outro lado está uma equipa ambiciosa. «Não sabemos jogar para o empate e já o demonstrámos. Sabemos lidar com várias situações de jogo e, apesar de jogarmos fora, em Portugal, tudo iremos fazer para ganhar», avisou o selecionador suíço, vitorioso em nove jogos.

Foto: Luís Manuel Neves
Um país a apelar ao seu recordista | © Luís Manuel Neves
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE