Incêndios

Costa afirma compreender reação de revolta e admite erro na gestão das suas emoções

21 | 10 | 2017   22.46H

O primeiro-ministro afirmou hoje compreender a revolta que muitos sentem face às consequências dos incêndios, admitiu erros na forma como conteve as suas emoções, mas frisou que um líder de Governo deve diferenciar emoções e plano pessoal.

António Costa falava no final da reunião extraordinária do Conselho de Ministros, em São Bento, que durou mais de 11 horas e que foi dedicada à adoção de medidas para rever os sistemas de prevenção e combate aos fogos e para reparar os danos dos incêndios que deflagraram nos passados domingo e segunda-feira.

"Percebo bem a urgência que todos sentimos e compreendo a revolta que muitos sentem. O tempo das instituições não é o tempo da vida de cada um de nós", declarou o primeiro-ministro.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE