Incêndios

Défice nunca sacrificará a segurança das pessoas -- Costa

21 | 10 | 2017   23.45H

O primeiro-ministro afirmou hoje que manterá a trajetória de consolidação orçamental, mas salientou que será feito tudo o que é urgente na prevenção e combate a incêndios e o défice nunca sacrificará a segurança das pessoas e das povoações.

"Obviamente, o país tem de prosseguir uma gestão responsável das contas públicas, e Portugal não passou a ter meios ilimitados. Mas quero dizer o seguinte: O que é urgente ser feito vai ser feito", declarou António Costa no final do Conselho de Ministros extraordinário em São Bento, que durou mais de 11 horas.

Interrogado sobre se a trajetória de consolidação orçamental do país poderá estar em causa no próximo ano, em consequência das novas despesas a efetuar para a prevenção e combate aos incêndios, o líder do executivo começou por dizer que o país dispõe de margem orçamental, hoje, para poder fazer aquilo que o seu Governo se comprometeu a fazer.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE