Estudo

Trabalho a tempo inteiro predomina

26 | 11 | 2017   23.30H
Ao contrário da tendência a nível mundial, 54% dos portugueses prefere trabalhar a tempo inteiro. Trabalho flexível é quase exclusivo da faixa entre os 18 e 26 anos.
João Moniz | jmoniz@destak.pt

A tendência para profissionais qualificados rejeitarem trabalhos com os horários habituais está a crescer no mundo, ao mesmo tempo que o fenómeno da gig economy ganha mais adeptos por ser uma alternativa mais vantajosa. Apesar desta ser a principal conclusão das respostas de mais de 100 mil empresas em 38 países, Portugal escapa a esta regra.

De acordo com o Flexible Working: a Career and Lifestyle Pathway, estudo desenvolvido pelo Grupo Adecco e o LinkedIn a que o Destak teve acesso, mais de metade dos portugueses (54%) prefere um trabalho a tempo inteiro. Itália (com os mesmos 54%) e Espanha (42%) são os outros países onde existe maior resistência ao trabalho flexível.

Em relação ao trabalho flexível, cada vez mais atrativo numa nova dinâmica económica, a investigação conclui que 73% dos trabalhadores flexíveis que possuem perfil de LinkedIn apresentam qualificações superiores.

Além disso, 54% dos trabalhadores independentes optaram por um trabalho flexível para atender às suas necessidade e objetivos pessoais e 36% devido à dificuldade em conseguir um trabalho a tempo inteiro.

Apenas 36% considera este fator como um passo negativo na sua carreira e 82% dos inquiridos que tem um trabalho flexível, e que possuem uma idade compreendida entre os 18 e os 26 de idade, já desejavam ser um empregado independente.

Inclusive, 89% já encara o trabalho flexível numa perspetiva de longo prazo. «Este poderá ser o caminho para muitos jovens que procurem trabalhos independentes.»

Foto: 123RF
Trabalho a tempo inteiro predomina | © 123RF

2 comentários

  • Ao longo da minha vida,já fiz 101 anos,vivi nos dois lados...Com trabalho fixo,temos mais tranquilidade.Pensamos apenas em deixar "correr o marfim".A vida é bela...Com trabalho temporário o caso muda de figura:Aqui já temos a adrenalina de,além de termos que fazer o trabalho,termos tambem de o "inventar e oferecer".São casos distintos.E,como sempre,é preciso sorte.
    RODAVLAS | 29.11.2017 | 15.14Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • "Os salários em Portugal são tão altos que incentivam até ao trabalho a tempo parcial". O trabalho a tempo parcial, pelo menos para um elemento do casal, em especial para prestar serviço à família, cônguge, filhos e também aos pais só pode ser tido em conta se o rendimento que restar for suficiente para a manutenção da própria família. por isso é preciso definir relativamente a quem se está a pensar quando falamos na possibilidade de trabalho a "tempo parcial"
    zé da burra o alentejano | 29.11.2017 | 11.34Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE