Consumo

Maioria dos cartões com custo associado

04 | 12 | 2017   23.22H
O ComparaJá.pt fez uma análise aprofundada ao mercado nacional de cartões de crédito, traçando um quadro geral da oferta e o perfil do consumidor.
João Moniz | jmoniz@destak.pt

Num total de 102 cartões de crédito existentes no mercado português, apenas 25 isentam os consumidores de custos associados à anuidade ou a comissões de utilização mínima do cartão. Esta é uma das grandes conclusões da pesquisa inerente à 1ª edição dos prémios “Melhores Cartões de Crédito” – lista em baixo e pode consultar a análise completa em https://www.comparaja.pt/blog/.

Metade destas opções totalmente gratuitas referem-se a cartões de fidelização de marcas. As restantes são de três financeiras e de oito bancos.

O reverso da medalha é que 24 destes 25 cartões têm a TAEG no limite máximo (16,1% para este trimestre) e só 7 incluem algum tipo de seguro.

Da leitura feita pelo Destak, saltam à vista outros dados: só 25 cartões isentam totalmente os consumidores do pagamento da taxa de gasolineira (0,50€), cobrada quando se utiliza o cartão para pagar os abastecimentos de combustível; o custo médio de um levantamento a crédito no multibanco de 100€ em Portugal é de 7,28€ e de uma transferência a crédito no mesmo montante é de 6,18€; mais de metade dos cartões de crédito permitem o fracionamento de compras, mas menos de 20% incluem função dual (pagar a crédito ou a débito).

Além disso, existem 12 cartões com cashback ao dispor dos consumidores nacionais (a percentagem do valor das compras realizadas com o cartão que o consumidor recebe de volta varia entre 1% e 3%) e 16 cartões com milhas aéreas no mercado (por cada euro gasto, os consumidores portugueses poderão receber entre 0,5 a 2 milhas).

Também estão disponíveis 15 cartões que incluem programas de pontos e 71 cartões que dão acesso a algum tipo de desconto. No entanto, apenas 43 permitem aceder a uma rede alargada de parceiros (mais de 50 parceiros) com descontos.

Com base nas últimas 25 000 simulações no comparador gratuito de cartões de crédito, a plataforma conclui que os consumidores portugueses procuram sobretudo cartões que incluam cashback (benefício que permite receber de volta parte do valor das compras realizadas).

Milhas aéreas e descontos são as categorias que se seguem.

Aliás, a categoria Melhores Ofertas (engloba os cartões mais competitivos nas várias categorias e tem em conta o total de benefícios, como seguros gratuitos, descontos, cashback ou milhas aéreas) é mais pesquisada do que a relativa ao custo (anuidade, TAEG, taxa de gasolineira). Uma tendência que se nota mais nos rendimentos mensais até 1000€. Já as famílias com rendimentos intermédios (entre 1.000€ e 2.000€/mês) procuram maioritariamente as categorias de Pontos, Melhores ofertas e Descontos.

Apenas três em cada dez consumidores procuram cartões premium, percentagem que é ainda mais baixa relativamente aos cartões com pontos (2%).

LISTA COMPLETA DE PRÉMIOS

Melhor Cartão com Cashback: Cofidis - Cartão Cofidis (+ por 1€)

Melhor Cartão com Descontos: WiZink – Rewards

Melhor Cartão com Pontos: Millennium BCP - Prestige Gémeos

Melhor Cartão para Viajantes: Caixa Geral de Depósitos - Miles & More Gold

Melhor Cartão para Automobilistas: Santander Totta - Mundo 123

Melhor Cartão de Fidelização: Cetelem (co-branded) - Cartão de Crédito FNAC

Cartão Premium mais competitivo: Banco Best - Best Gold Visa

Cartão mais económico: WiZink - Rewards

Foto: DR
Maioria dos cartões com custo associado | © DR

2 comentários

  • É um instantinho até à próxima banca rota. Ou será que não percebem que não produzimos riqueza para pagar o que devemos, quanto mais para mais dívidas? Os especuladores financeiros, com altos ordenados, grandes prémios e chorudas comissões, riem-se à fartazana deste povo economicamente inculto, invejoso, egoísta e ganancioso. Passos lá sabia de que diabo falava...
    Kàrlitos | 06.12.2017 | 21.27Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Basta um cartão!
    Anónimo | 05.12.2017 | 07.49Hver comentário denunciado
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE