Actualidade

Carlos César considera que ex-secretário de Estado da Saúde podia ter-se demitido mais cedo

14 | 12 | 2017   05.03H

O líder socialista, Carlos César, afirmou que o ex-secretário de Estado da Saúde Manuel Delgado podia ter-se demitido "24 horas antes", no âmbito do caso Raríssimas, numa entrevista hoje publicada.

"Se encontrou razões para se demitir 24 horas depois, certamente teriam sido as mesmas razões que teria encontrado 24 antes", considerou na entrevista ao jornal Público e à Rádio Renascença, quando questionado sobre se considerava que Manuel Delgado devia ter apresentado a demissão logo quando o caso surgiu, no sábado, em vez de aguardar pela divulgação de novas informações.

Na sequência de uma reportagem emitida pela TVI no fim de semana, na qual se denunciavam práticas de gestão danosa da instituição particular de solidariedade social (IPSS) Raríssimas, e que envolviam o seu nome, Manuel Delgado deu na terça-feira uma entrevista ao canal em que disse ter posto o lugar à disposição do ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, que, segundo o ex-secretário de Estado, lhe respondeu que não via "razões objetivas" para o retirar de funções.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE