Actualidade

Comissão de Trabalhadores da Autoeuropa admite greve mas ainda acredita em acordo sobre horários

12 | 01 | 2018   19.55H

A Comissão de Trabalhadores da Autoeuropa reconheceu hoje que não há acordo com a administração da empresa sobre os novos horários e não excluiu a possibilidade de greve, mas reafirmou a convicção de que ainda é possível um entendimento.

"Vamos avaliar toda a situação e depois os trabalhadores irão decidir o que vamos fazer. A greve é sempre a última coisa que nós fazemos. Temos de esgotar todas as possibilidades, algumas já foram esgotadas, mas eu acredito que ainda é possível reverter a situação", disse hoje aos jornalistas Fernando Gonçalves, acrescentando que a empresa não devia castigar os trabalhadores por terem rejeitado os pré-acordos.

"Os trabalhadores não têm de ser castigados por terem uma opinião diferente da opinião da administração. Nós achamos, como Comissão de Trabalhadores, que devia ter sido, pelo menos, implementado tudo aquilo que tinha sido decidido para a primeira parte do ano e não castigar os trabalhadores, retirando-lhes o prémio, retirando-lhe 175 euros de prémio, cinco minutos de sobreposição da mudança de turnos, dez minutos de intervalo e mais 25% (pelo trabalho aos sábados) que seriam pagos no âmbito do pré-acordo, e que agora só será pago ao fim de três meses, se a produção atingir os números que a administração pretende", acrescentou.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE