Actualidade

Tony Carreira mantém-se disponível para chegar a acordo no processo de plágio

06 | 02 | 2018   19.16H

O cantor Tony Carreira reiterou hoje a sua disponibilidade para chegar a um acordo no processo em que é acusado de plágio, após a editora que apresentou a queixa-crime ter rejeitado o acordo alcançado em tribunal no ano passado.

A 27 de novembro, o cantor e a editora Companhia Nacional de Música (CNM), propriedade de Nuno Rodrigues, chegaram em tribunal a um princípio de acordo, proposto por uma juíza do Tribunal de Instrução Criminal de Lisboa, que previa a suspensão provisória do processo durante quatro meses, na condição de, no prazo de 60 dias, Tony Carreira entregar 10.000 euros à Câmara Municipal da Pampilhosa da Serra, para apoio aos danos causados pelos incêndios, e mais 10.000 euros à Associação das Vítimas do Incêndio de Pedrógão Grande.

"Continuo aberto a encerrar o presente processo e, simultaneamente, contribuir para aliviar o sofrimento das vítimas dos incêndios, seus familiares e povoações; continuo a não vislumbrar qualquer razão legítima para ceder a pressões da CNM, lamento que a CNM continue a insistir no recebimento de uma verba que, na minha opinião, não tem direito, em vez de contribuir para a redução do sofrimento das pessoas que se viram envolvidas nos incêndios de 2017", diz Tony Carreira, em nota escrita enviada hoje à agência Lusa.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE