Actualidade

Mortes por medicamentos opiáceos nos EUA "obrigam" gigante farmacêutico a mudar

15 | 02 | 2018   02.41H

O fabricante do medicamento opiáceo mais vendido nos Estados Unidos anunciou hoje que ordenou aos seus vendedores que não encorajem os médicos a receitar medicamentos para a dor que, alegadamente, possam provocar dependência química.

A Purdue Pharma, que esta semana foi referida num relatório de uma senadora democrata como sendo uma das empresas farmacêuticas que alegadamente contribui para uma "epidemia de mortes" relacionadas com o consumo de medicamentos opiáceos, revelou, através do Twitter e na sua página oficial, que deixará de promover, junto dos médicos, o popular analgésico OxyContin.

"Reestruturámos e reduzimos significativamente a nossa operação comercial, e os nossos representantes de vendas já não promoverão os opioides junto dos médicos prescritores", garante a empresa farmacêutica, uma das maiores e mais poderosas da América.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE