Actualidade

Sou escritor de pouca imaginação, mas muita memória -- Eric Nepomuceno

24 | 02 | 2018   09.25H

O escritor brasileiro Eric Nepomuceno, que se estreou em Portugal no final do ano passado pela mão da Porto Editora, disse à Lusa ser um escritor de pouca imaginação, mas muita memória, que considera a base da sua ficção.

"Eu acho que a memória é essencial. No meu caso, sou um escritor de muito pouca imaginação, mas de muita memória. Se você me contar uma história bem contada e me deixar marcado por ela, pode virar conto. Quando? Não sei, no momento em que eu sentir que a história é minha ou que eu sou personagem ou que eu vi o que nunca vi, mas você me contou. É assim que eu trabalho", disse Nepomuceno à Lusa, à margem do Correntes d'Escritas, festival literário que hoje termina na Póvoa de Varzim, com a entrega dos prémios desta edição.

O escritor e colunista estabelece a diferença entre imaginação e fantasia, com a primeira a representar "o resultado de trabalho coletivo, de tudo o que você ouviu, de tudo o que te levou a imaginar aquilo", enquanto a segunda é "falsa".

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE