Maio de 68

Cineasta Carlos Saboga viveu movimento como "soldado raso"

23 | 04 | 2018   09.15H

O argumentista e realizador Carlos Saboga viveu o Maio de 68 entre euforia e receio de ser expulso para Portugal, depois de ter participado na ocupação da Casa de Portugal e de ter sido "soldado raso" nas barricadas.

O homem que viria, mais tarde, a trabalhar com os realizadores António-Pedro Vasconcelos, Mário Barroso e Raúl Ruiz, também participou num comité de ação português de trabalhadores-estudantes, e foi obrigado a fugir para Itália, em junho de 68, face a um rumor de expulsão de portugueses.

Carlos Saboga tinha saído de Portugal com uma equipa de cinema francesa, em 1965, e atravessou os Pirenéus a pé, porque a sua família tinha "uma longa história de oposição ao regime de Salazar": o pai passou 15 anos preso e ele próprio esteve atrás das grades.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE