Actualidade

Vice-presidente do BCP diz que Novo Banco é um "fardo" para restantes bancos

18 | 05 | 2018   13.47H

O vice-presidente do BCP Miguel Maya disse hoje que o sistema bancário português é "fortemente penalizado" pelo Novo Banco, considerando que esse é "um fardo" que condiciona a competição do setor face aos pares europeus.

"Temos um sistema financeiro em Portugal fortemente penalizado por este fardo e que condiciona a capacidade competitiva dos operadores", disse Miguel Maya, que foi escolhido pelos maiores acionistas do BCP para suceder a Nuno Amado como presidente do banco, o que ainda tem de ser votado em assembleia-geral em 30 de maio e aprovado pelo Banco Central Europeu (BCE).

O administrador bancário considerou que este "fardo" que o sistema bancário português carrega, porque contribui para o fundo de resolução bancário, que capitalizou o Novo Banco (o banco que ficou com ativos do ex-BES, alvo de medida de resolução em agosto de 2014), o penaliza face a bancos europeus que hoje mais facilmente, até devido à digitalização, conseguem entrar na base de clientes dos bancos portugueses.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE