Migrações

Combate ao fluxo tem que ser feito nos países de origem e de trânsito

13 | 06 | 2018   15.52H

O comissário europeu para as Migrações, Dimitris Avramopoulos, reiterou hoje que o combate ao fenómeno migratório tem que ser feito nos países de origem e de trânsito, de modo a reduzir fluxos e casos como o do navio Aquarius.

"Temos que evitar que as pessoas que fogem de catástrofes arrisquem a vida em viagens de alto risco, temos que reforçar as ações nos países de origem e de trânsito", disse o comissário, num debate no Parlamento Europeu (PE) sobre Emergências humanitárias no Mediterrâneo e solidariedade na União Europeia (UE).

Sobre o caso concreto da embarcação Aquarius, Avramopoulos salientou que "o mais importante é que as pessoas numa situação desesperada possam ser ajudadas e resgatadas", recusando-se a apontar responsabilidades e voltando a elogiar a ação do Governo espanhol, que ofereceu um porto de abrigo para o desembarque de refugiados.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE