Pedrógão Grande

Bombeiros de Castanheira de Pera que ficaram feridos querem voltar ao ativo

14 | 06 | 2018   05.00H

Os bombeiros da corporação de Castanheira de Pera que ficaram feridos com gravidade no incêndio que deflagrou em Pedrógão Grande em junho de 2017 querem voltar ao ativo e não esquecem a solidariedade de que foram alvo.

Naquele sábado, 17 de junho, cinco bombeiros - o chefe Fernando Tomé, o subchefe Rui Rosinha, Fernando Paulo Tomé, Filipa Rodrigues, que ficaram feridos, e Gonçalo Correia, que viria a morrer - seguiam numa viatura que foi abalroada por um ligeiro na estrada nacional 236-1, via onde faleceram 47 pessoas devido ao incêndio.

Dos quatro, Fernando Paulo Tomé é o único que já regressou ao serviço ativo, mas os restantes, ainda em fisioterapia, também ambicionam voltar, embora antecipando eventuais limitações.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE