Actualidade

Novo recorde de deslocados implica "enorme responsabilidade" para a comunidade internacional -- CPR

19 | 06 | 2018   16.47H

O novo recorde de deslocados por guerras e conflitos no mundo, 68,5 milhões de pessoas segundo a ONU, implica uma "enorme responsabilidade" para encontrar "soluções solidárias e duradouras", afirmou hoje a presidente do Conselho Português para os Refugiados (CPR).

"Verificamos que as guerras, a violência e a perseguição têm atingido um recorde em termos numéricos e que abrange homens, mulheres e crianças. Cerca de 52% destes refugiados, em termos gerais, são crianças com idades abaixo dos 18 anos. O que nos traz uma enorme responsabilidade de encontrar soluções solidárias e duradouras para que este fenómeno não se agrave cada vez mais", disse à Lusa Teresa Tito de Morais, numa reação aos dados divulgados hoje pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), na véspera do Dia Mundial do Refugiado.

Pelo quinto ano consecutivo, o número de pessoas deslocadas por guerras e conflitos, outras formas de violência e perseguições atingiu um novo recorde. Até finais de 2017, 68,5 milhões de pessoas no mundo tinham sido forçadas a fugir das respetivas casas ou a sair dos respetivos países, indicou o relatório anual do ACNUR.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE