PUBLICIDADE
Actualidade

Costa não se lembra de cimeira "onde tenham sido tão evidentes as divisões" na UE

29 | 06 | 2018   14.28H

O primeiro-ministro, António Costa, comentou hoje em Bruxelas que o acordo sobre migrações "não disfarça as divisões profundas que hoje ameaçam a UE", afirmando mesmo que não se lembra de uma cimeira onde as mesmas tenham sido tão evidentes.

"Esta foi uma cimeira seguramente muito difícil, e onde o aparente consenso expresso no documento não disfarça as divisões profundas que hoje ameaçam a União Europeia em matéria de valores e em matéria de migrações", disse, ao sair da cimeira de chefes de Estado e de Governo da União Europeia.

Quanto ao teor do compromisso alcançado ao fim de uma longa maratona negocial, Costa observou que "quem ler atentamente as conclusões, verificará que o Conselho não fez mais do que mandatar a Comissão e o Conselho para dialogarem com as Nações Unidas, com a Organização Internacional para as Migrações, com países terceiros para explorar uma ideia, e nada mais do que isso".

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE