Actualidade

CDS denuncia situação "particularmente grave" nas unidades de saúde do Interior

06 | 07 | 2018   14.17H

O CDS denunciou hoje a situação "particularmente grave" que se vive nas unidades de saúde do Interior pela passagem às 35 horas de trabalho e exigiu que o Governo adote medidas para atenuar os efeitos de uma "decisão irresponsável".

"A partir do momento em que o Governo avançou para as 35 horas tem que garantir que essas 35 horas não se repercutem no serviço que é prestado às populações e no Interior aquilo que está a acontecer é exatamente o contrário. Não se trata aqui de pedir a demissão do ministro, trata-se aqui de pedir camas, enfermeiros, médicos e profissionais de saúde para colmatar a decisão do Governo", disse o vice-presidente do CDS Adolfo Mesquita Nunes.

Este responsável falava na Covilhã, distrito de Castelo Branco, onde hoje realizou uma conferência de imprensa para denunciar a "grave situação" que se vive nas unidades de saúde dos distritos da Guarda e de Castelo Branco.

Destak/Lusa | destak@destak.pt

1 comentário

  • Então os meninos já não querem ir além da troika? Não gostam da pimenta no rabo? Quem diria.
    Dono dos Burros | 06.07.2018 | 17.02Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE