Actualidade

Organizações não-governamentais exigem libertação do ativista chinês Qin Yongmin

12 | 07 | 2018   07.17H

Organizações não-governamentais exigiram hoje às autoridades chinesas a libertação "imediata e incondicional" do veterano dissidente chinês Qin Yongmin, condenado na quarta-feira a 13 anos de prisão por subversão.

"O único 'crime' de Qin Yongmin foi criar um grupo de supervisão de direitos humanos para impulsionar reformas pacíficas na China", afirmou, em comunicado, a diretora da Human Rights Watch (HRW) na China, Sophie Richardson.

Na quarta-feira, um tribunal da cidade de Wuhan, no centro da China, considerou Yongmin culpado do crime de "subversão do poder do Estado", frequentemente usado pelo Governo chinês para prender dissidentes.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE