Actualidade

Autoridades de Macau acusam empresa que explorava canídromo de abandonar 533 galgos

21 | 07 | 2018   10.27H

As autoridades de Macau acusaram hoje a empresa que explorava o canídromo de ter abandonado mais de meio milhar de galgos nas instalações e ameaça aplicar sanções financeiras com base na Lei de Proteção dos Animais.

"Findo o prazo para deslocação do canídromo da Companhia de Corridas de Galgos Macau (...) a empresa não assumiu as responsabilidades e as obrigações devidas (...), deixando 533 galgos abandonados no referido local", refere em comunicado o Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais (IACM).

"Ao mesmo tempo, o IACM comunica aos donos, nos termos da Lei de Proteção dos Animais, que a não reclamação [de galgos] pelo seu dono no prazo de sete dias úteis é equiparada a abandono de animal" e o abandono de cada cão é "sancionado com multa de 20.000 a 100.000 patacas [entre dois mil e dez mil euros]", pode ler-se na mesma nota.

Destak/Lusa | destak@destak.pt

1 comentário

  • Ahhhhh não faz mal, os donos não pagam e o estado ou o fisco de Macau penhoram os galgos! Em Portugal aconteceu com uma exploração de coelhos... os coelhos morreram à fome, outros foram abatidos... e fica paga a dívida.
    anónimo | 22.07.2018 | 12.13Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE