Actualidade

Faria de Oliveira critica "leis populistas" que prejudicam bancos em Portugal

26 | 07 | 2018   16.30H

O presidente da Associação Portuguesa de Bancos, Faria de Oliveira, criticou hoje as "medidas legislativas populistas" que têm "implicações" para os bancos em Portugal, como é o caso das taxas de juro negativas.

"Não faz nenhum sentido que se introduzam em Portugal medidas legislativas várias de caráter populista, que penalizam os bancos portugueses em relação aos congéneres europeus e contrariam o objetivo de level playing field [ter um cenário com igualdade de regras de mercado] contido no projeto da União Europeia", criticou o responsável, que falava num almoço-debate promovido pelo International Club of Portugal, em Lisboa.

Frisando que estas novas leis foram introduzidas após "uma pressão regulatória sem precedentes, um autêntico massacre regulatório", Faria de Oliveira considerou ser "indispensável que os políticos atentem nas implicações e nos impactos das suas opções, não criando desincentivos à atratividade do sistema bancário junto dos investidores nacionais e estrangeiros".

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE