Saúde

Doenças oculares são potenciadas pelo sol

26 | 07 | 2018   22.11H
Com a subida da intensidade da luz solar e dos raios ultravioleta (raios UV), os cuidados com a visão devem ser redobrados de forma a evitar lesões oculares.

Alterações agudas da córnea e da conjuntiva, cataratas e degenerescência macular ligada à idade são alguns dos problemas que surgem com maior tendência nas pessoas que costumam estar mais expostas à luz solar. «Mais do que a ação aguda dos raios UV sobre os olhos, que provoca uma queimadura na superfície ocular (fotoceratite), é o efeito cumulativo de longos períodos expostos à luz solar que tem um efeito mais pernicioso sobre a visão», explica ao Destak o presidente da SPO - Sociedade Portuguesa de Oftalmologia.

De forma a evitar a ocorrência de problemas oculares, Manuel Monteiro Grillo recomenda algumas medidas de prevenção essenciais: evitar a exposição solar entre as 11h e as 16h, quando a vulnerabilidade aos raios UV é bastante mais elevada; é essencial o uso de óculos de sol com proteção UV, idealmente com lentes de proteção UV 100%; os chapéus com abas e/ou palas também são uma ajuda na proteção dos olhos, pois a sombra proporciona uma barreira sobre a radiação solar direta; os olhos podem ficar mais sensíveis com a toma de alguns medicamentos, como anti-histamínicos, antibióticos ou antidepressivos.

Deve procurar imediatamente um oftalmologista caso, após exposição solar, sentir alguns destes sintomas: olhos vermelhos; ardor; sensação de corpo estranho; e visão enevoada.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE