Actualidade

Guterres defende responsabilização dos autores da perseguição aos rohingya

29 | 08 | 2018   03.02H

O secretário-geral da ONU defendeu na terça-feira a responsabilização dos autores da "horrenda perseguição" dos muçulmanos rohingya em Myanmar, enquanto a Suécia e a Holanda pediram que os crimes sejam encaminhados para o Tribunal Penal Internacional.

António Guterres, que voltou a classificar a crise de rohingya como uma "limpeza étnica", disse que as descobertas e recomendações dos investigadores da ONU "merecem séria ponderação de todos os órgãos relevantes das Nações Unidas", referindo-se ao relatório de segunda-feira do Conselho de Direitos Humanos no qual se defende que os líderes militares de Myanmar sejam julgados por genocídio.

"A cooperação internacional eficaz será fundamental para assegurar que os mecanismos de prestação de contas sejam confiáveis, transparentes, imparciais, independentes e compatíveis com as obrigações de Myanmar em relação à lei internacional", acrescentou António Guterres durante uma sessão do Conselho de Segurança da ONU.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE