Actualidade

Diretores demissionários falam em buracos e humidade no Hospital de Gaia

05 | 09 | 2018   18.41H

Os responsáveis clínicos do Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho (CHVNGE), que hoje apresentaram a sua demissão, falam numa unidade de saúde "parcialmente destruída" com falta de camas, humidade nas paredes e buracos no chão.

Em conferência de imprensa, em que esteve presente o bastonário da Ordem dos Médicos, Miguel Guimarães, o diretor clínico demissionário explicou que a sua "grande angústia" é ter um hospital "parcialmente destruído", com uma estrutura antiga, com mau funcionamento e com falta de instalações e espaços adequados para acolher e tratar os doentes.

A título de exemplo, José Pedro Moreira da Silva avançou que o serviço de urologia tem uma enfermaria com 16 camas onde a única casa de banho fica fora deste local, a ortopedia tem 22 camas para uma casa de banho e a cirurgia para homens tem 34 camas para apenas uma casa de banho.

Destak/Lusa | destak@destak.pt

1 comentário

  • P S QUISERAM JUNTAR COM B E ...P C P.. PARA FAZEREM A GRANDE BORRADA AGORA AGUENTEM MAS QUEM VAI PAGAR É O PRIVADO QUE O PÚBLICO ESTA NA FALÊNCIA
    O povo | 05.09.2018 | 21.06Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE