Actualidade

Empresas passam a poder contribuir para Fundo de Certificados de Reforma

06 | 09 | 2018   17.32H

O Governo aprovou em Conselho de Ministros um decreto-lei que altera a regulamentação aplicável ao Regime Público de Capitalização, mais conhecido por "PPR" do Estado, permitindo que as entidades empregadoras também possam contribuir para o sistema.

Criada em 2008, esta iniciativa tem como instrumento principal o Fundo dos Certificados de Reforma (FRC), para o qual os trabalhadores podem decidir descontar uma parte do seu rendimento, além dos 11% que já entregam à Segurança Social. Quem quer aderir pode descontar 2%, 4% ou 6% da sua remuneração mensal bruta. O objetivo dos FCR é funcionar como "mecanismo de fomento à poupança destinada ao momento em que os cidadãos passem à condição de pensionistas ou de aposentados por velhice ou por incapacidade absoluta e permanente".

O Governo adianta, assim, que "entendeu-se introduzir a novidade de as entidades empregadoras poderem passar a contribuir para o Fundo dos Certificados de Reforma em benefício dos trabalhadores ao seu serviço, tornando o regime mais atrativo e indo ao encontro de proposta efetuada pelo Conselho Consultivo do IGFCSS [Instituto de Gestão de Fundos de Capitalização da Segurança Social]".

Destak/Lusa | destak@destak.pt

2 comentários

  • De boas intenções está o Inferno cheio. Acreditava mais na palavra de António de Oliveira SALAZAR do que num qualquer PPD-CDS ou PS.
    Dono dos Burros | 06.09.2018 | 20.57Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • QUEREM ESBANJAR MAIS DINHEIRO HÁ CUSTA DE QUEM TRABALHA DOS 11% QUE UM TRABALHADOR DESCONTA PASSA PARA 5% ISSO NÃO INTERESSA É PARA DAR SUBSÍDIOS PARA QUEM NADA FAZ VERGONHA SÓ PENSAM TIRAR A QUEM TRABALHA ISTO É GENTE QUE DÃO UM CHOURIÇO A QUEM LHES DER UM PORCO TRABALHADORES ABRAM OS OLHOS
    Ze povinho | 06.09.2018 | 17.50Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE