Actualidade

Portugueses procuram respostas sobre o Universo no sítio mais quente, frio e vazio

08 | 09 | 2018   10.00H

No sítio mais quente, frio e vazio do Universo, na fronteira franco-suíça, fazem-se experiências com partículas subatómicas para se compreender melhor do que é feito o Universo, uma tarefa que mobiliza cientistas portugueses.

O sítio mais quente, mais frio e mais vazio do Universo é o maior e mais potente acelerador de partículas do mundo, um túnel circular de 27 quilómetros, a 100 metros de profundidade, que atravessa a fronteira entre a França e a Suíça.

No 'Large Hadron Collider' (LHC, Grande Colisionador de Hadrões), operado pelo Laboratório Europeu de Física de Partículas (CERN), circulam protões a uma velocidade próxima da luz - e nada há mais rápido do que a luz - que depois chocam a uma energia elevadíssima. A máquina que gera essas colisões faz 10 anos na segunda-feira.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE