Actualidade

Maior reserva de Moçambique perdeu 16 mil elefantes em sete anos

19 | 09 | 2018   11.23H

O abate ilegal de elefantes em Moçambique ascende a 16 mil animais mortos em sete anos, numa só reserva, Niassa, norte do país, segundo dados divulgados hoje pelo diário O País, que agravam os números oficiais.

"De acordo com dados locais do mapeamento, em 2009 existiam 20.118 elefantes na reserva, mas em 2016 restavam apenas 3.675", ou seja, cerca de 16.443 foram abatidos em sete anos, lê-se no jornal.

Os últimos dados oficiais disponíveis, divulgados pela Administração Nacional das Áreas de Conservação (ANAC), indicavam que, desde 2009, o país tinha perdido pelo menos dez mil elefantes e que, só na Reserva do Niassa, a maior área protegida do país, o número total tinha passado de 12.000 para 4.400 em três anos (entre 2011 e 2014).

Destak/Lusa | destak@destak.pt

1 comentário

  • Ora aqui está uma boa notícia. Menos uns milhares de toneladas que estes animais comem. Em contrapartida os elefantes que estão na política aumentarem para o dobro em 5 anos.
    Dono dos Burros | 19.09.2018 | 13.39Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE