PUBLICIDADE
Imobiliário

Casas usadas valorizam 33,4% no 1º semestre

26 | 09 | 2018   22.36H
Foram vendidos 86 335 alojamentos de janeiro a junho deste ano, a um ritmo de 477 por dia. Preços subiram.
João Moniz | jmoniz@destak.pt

Uma escalada constante. Os dados da Associação dos Profissionais e Empresas de Mediação Imobiliária de Portugal (APEMIP) dão conta da transação de 477 casas por dia. São 86 335 alojamentos vendidos no 1º semestre deste ano, mais 19,8% do que em igual período de 2017.

Mas é no preço que a valorização é mais significativa. Os negócios feitos entre janeiro e junho valeram 11,6 mil milhões de euros, um crescimento homólogo de 30,5%. E nas casas usadas essa evolução positiva é superior. Os valores de venda ultrapassaram os 9 mil milhões de euros, 33,4% acima do verificado há um ano.

«A grande maioria do stock imobiliário existente é de usados, havendo necessidade de haver uma renovação do mesmo, sobretudo nas principais cidades como Lisboa ou Porto, que apresentam escassez de oferta face à procura existente», refere a APEMIP.

Mais de dois terços dos proprietários fizeram da sua casa secundária um alojamento local. Um estudo realizado pela consultora Savills e pela plataforma HomeAway dá conta que, em 2017, o preço médio de uma propriedade alcançava os 177 mil euros em Portugal, onde 35% dos proprietários obtêm algum proveito das suas propriedades e 38% conseguem cobrir parcialmente os gastos.

Foto: Pedro Ferreira
Casas usadas valorizam 33,4% no 1º semestre | © Pedro Ferreira

3 comentários

  • A rotura do mercado de arrendamento é mais uma a juntar á dos hospitais,farmácias,muitos sectores da administração,assistência social,Justiça,policias,CP,correios, etc... Portugal a emperrar... Com a aposentação facilitada pelo governo reduzindo a idade da reforma e esquecendo que a aposentação não é um prémio de produtividade mas sim consequência da incapacitante velhice! A aposentação deveria (e vai ser inevitável) ser,sem excepções, apenas depois dos setenta anos,o novo sistema vai fazer a médio prazo romper o pagamento de pensões,com dois milhões de aposentados e não voltemos ao infante erro provado de que as altas pensões se reduzidas tudo podem compensar! O dinheiro não aparece por decreto, ao modo da doutrina do Rousseau,que tudo é politico! Só se for...dívida a tal que «não é para pagar!» e aumenta,aumenta... em proporção dos votos eleitorais... Quem vai pagar este festival do empurranço para a frente com a barriga?
    ana | 06.02.2019 | 04.24Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • O perigo da especulação imobiliária pó de destruir toda a estrutura de negócio
    SRGPORToriGem | 01.11.2018 | 19.19Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • As casas à venda valem 30% ou menos do preço atual. Atualmente, em Lisboa, há T0's (casas de porteira) com avaliação da Autoridade Tributária (valor patrimonial tributário) no valor de €19.000, a serem vendidas pelo preço de €120.000! A Autoridade Tributária efetua a avaliação com critérios maioritariamente objectivos (as áreas e a antiguidade são os critérios com mais peso na avaliação), e os atuais valores são 600% superiores aos valores da Autoridade Tributária. É claro que existe uma bolha no imobiliário, no turismo e noutras áreas.
    Campino | 29.09.2018 | 08.59Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE