Governo

Nova ministra da Saúde "é uma réstia de esperança" para último ano de mandato - FNAM

14 | 10 | 2018   12.32H

A Federação Nacional dos Médicos considerou hoje a nomeação de Marta Temido para ministra da Saúde "uma réstia de esperança" para o último ano de mandato do Governo, esperando que tenha uma "postura diferente" com os profissionais do setor.

"Com este ministro [Adalberto Campos Fernandes] e a sua equipa não negociávamos nada, era um ministro que não aceitava negociar nem aceitava as negociações. Estivemos três anos sem qualquer tipo de negociação viável em relação a descongelamentos, a grelhas a concursos", disse à agência Lusa o presidente da Federação Nacional dos Médicos (FNAM), João Proença.

Para João Proença, Adalberto Campos Fernandes "era um ministro ausente e sempre favorável aos interesses dos grupos económicos privados", esperando agora da nova ministra uma postura diferente.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE