Actualidade

Pais acusam ministra de deixar "na gaveta" Ala Pediátrica do Hospital de São João

03 | 11 | 2018   09.20H

A associação de pais de crianças tratadas no Hospital de São João acusa a ministra da Saúde de deixar "na gaveta" o memorando que assinou em 2017 para acabar com o tratamento pediátrico em contentores "provisórios e degradados".

"A nova ministra da Saúde disse que não há data para o avanço do concurso da Ala Pediátrica. Mas assinou um memorando em que a obra é considerada urgente. Puseram o memorando na gaveta. Se é urgente, têm de arranjar forma de a fazer", criticou Jorge Pires, porta-voz da APOHSJ - Associação Pediátrica Oncológica.

O memorando, a que a Lusa teve acesso, aponta a conclusão do investimento de 23,8 milhões de euros para 2019, e reconhece a necessidade de "criar as condições adequadas" para serviços "a funcionar há anos em espaços provisórios e degradados", com "risco de repercussão na qualidade dos cuidados prestados".

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE