Actualidade

Gorbatchev apela a medidas preventivas para evitar nova corrida aos armamentos

08 | 11 | 2018   18.58H

O antigo líder soviético Mikhail Gorbatchev considerou hoje que devem ser promovidos esforços urgentes para evitar uma nova corrida aos armamentos e defendeu uma aproximação entre Moscovo e Washington.

Gorbatchev, 87 anos, referiu em declarações aos media que a Rússia e os Estados Unidos devem concentrar-se na resolução das suas divergências e melhorar a relação bilateral, definida como a mais importante do mundo.

"Espero que a corrida aos armamentos seja travada e que prossiga o desarmamento nuclear", disse, referindo-se a algo que ele próprio e o então presidente dos EUA, Ronald Reagan, iniciaram na década de 1980.

Destak/Lusa | destak@destak.pt

4 comentários

  • E quem irá promover a aproximação a que ele se refere? Os extraterrestres? Estou na Lua!
    Zé da burra o alentejano | 09.11.2018 | 04.00Hver comentário denunciado
  • Lúcida análise do comentador ZÉ DA BURRA O ALENTEJANO. Assim tivéssemos gente desta, nos nossos Negócios Estrangeiros, que de negócios, só mesmo o das viagens à pala dos burros nacionais.
    Dono dos Burros | 08.11.2018 | 21.05Hver comentário denunciado
  • Mikhail Sergeevitch nasceu em 1931. Com 60 anos de idade, tinha ainda obrigação de se lembrar do que foi a guerra e onde seu pai morreu. Foi ingénuo. Mas esse é um erro que os russos cometem com os ocidentais (europeus e americanos por extensão), achar que os capitalistas têm palavra. Nada ficou escrito e mesmo que tivesse ficado, estava destinado a ser esquecido.Agora resta pedir a Deus, se existir, que Putin viva muitos anos para que a Rússia não seja invadida pelo Império do Mal comandado da sede da OTAN.
    Dono dos Burros | 08.11.2018 | 21.01Hver comentário denunciado
  • O Gorbatchev, se não foi um traidor do seu país, foi no mínimo um ingénuo: pensaria ele que bastaria abandonar o dogma de ser "um país rumo ao socialismo" para ser parceiro dos EUA e da Europa? Não terá aprendido nada de História? pois sempre houve países rivais ao longo da história: Grécia vs Roma; Roma vs Cartago; Portugal vs Espanha; Espanha vs Inglaterra; Alemanha vs Inglaterra... A Rússia continua a ser uma grande potência, mesmo sem os países satélites depois da 2.ª grande guerra. A Rússia continuará a ser um rival dos EUA, que agora vai ter outro: a China, que nasceu da "globalização selvagem". E a China nem necessitou de desmistificar o dogma de "país comunista".
    zé da burra o alentejano | 08.11.2018 | 19.33Hver comentário denunciado
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE