Actualidade

Medina considera "inaceitável" não haver serviços mínimos para greve da CP

06 | 12 | 2018   11.57H

O presidente da Área Metropolitana de Lisboa (AML), Fernando Medina, considerou hoje "inaceitável" não terem sido decretados serviços mínimos para a greve dos ferroviários de sexta-feira, não colocando em causa "o legítimo direito dos trabalhadores" ao protesto.

"O direito à greve é constitucionalmente protegido e tem de ser respeitado por todos os cidadãos, mas é inaceitável que os árbitros no Conselho Económico e Social não tenham decretado serviços mínimos para o transporte de passageiros", disse Fernando Medina em declarações à agência Lusa.

Os árbitros do Conselho Económico e Social (CES) optaram por não definir serviços mínimos para a greve dos ferroviários de sexta-feira, segundo o acórdão disponível na página daquele órgão na internet.

Destak/Lusa | destak@destak.pt

2 comentários

  • Ó Merdina, insustentável é tu varreres a população para fora de Lisboa e entregares a cidade aos homossexuais ricos vindos de fora. Queres que os trabalhadores deem o rabo e ainda paguem por cima? Para ti nem voto mínimo, o que precisas é de seres corrido daí, onde te estás a encher. Olha que em França por menos as coisas andam acesas.
    Dono dos Burros | 06.12.2018 | 13.29Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • PRIVATIZEM A C P DEIXAMOS DE VER ESTA NOVELA JÁ CHEIRA MAL É SÓ PREJUDICAR QUEM TRABALHA
    O povinho | 06.12.2018 | 12.56Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE