Actualidade

Patrões admitem acordo na Concertação Social para 600 euros, centrais sindicais recusam

07 | 12 | 2018   15.23H

As confederações patronais admitiram hoje um acordo na Concertação Social para aumentar o salário mínimo nacional, desde que seja para 600 euros em 2019, mas as centrais sindicais recusaram, exigindo um montante superior.

As posições dos parceiros sociais foram transmitidas aos jornalistas à entrada de uma reunião da Concertação Social onde será discutido esta tarde o aumento do salário mínimo, atualmente de 580 euros.

O presidente da Confederação do Comércio e Serviços de Portugal (CCP), João Vieira Lopes, voltou a dizer que tem a expectativa de que a subida não seja para um valor superior a 600 euros, considerando que no Orçamento do Estado não foram acauteladas medidas que favorecessem as empresas.

Destak/Lusa | destak@destak.pt

1 comentário

  • E será que o governo aceita limitar o valor das rendas de casa a 600 €, podendo haver excepções apenas para residências de luxo, que não serão obviamente destinadas ao povo trabalhador de menores recursos. Não me parece escandaloso, dado o valor do salário mínimo português.
    Zé da burra o alentejano | 07.12.2018 | 15.36Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE