PUBLICIDADE
Actualidade

Orquestra Sem Fronteiras visa "fixar talento jovem" no Interior de Portugal - Maestro

06 | 02 | 2019   16.01H

A Orquestra Sem Fronteiras (OSF), projeto dirigido pelo maestro Martim Sousa Tavares, visa "fixar talento jovem" no Interior de Portugal, e dinamizar em termos culturais estas regiões e a zona da raia luso-espanhola.

A OSF, que terá a sua sede em Idanha-a-Nova, no distrito de Castelo Branco, foi hoje apresentada em Lisboa, e parte com um orçamento de 100.000 euros, disse à agência Lusa Martim Sousa Tavares, que prevê conseguir mais do que este valor, pois está ainda a decorrer uma ação de "fund raising" (captação de financiamento voluntário).

A programação é gizada conforme for sendo garantido o seu suporte financeiro, disse o maestro, referindo que, para os próximos quatro meses, "está já tudo pago e garantido".

Destak/Lusa | destak@destak.pt

2 comentários

  • GRANDES EMPREGOS QUE SE ARRANJAM ESTE TRISTE PAÍS O QUE QUER É MÚSICA ESSE MAESTRO DEVE ESTAR NO DESEMPREGO E PRECISA DE DINHEIRO PAGA CONTRIBUINTE PARA HOSPITAIS E LARES NUNCA HÁ DINHEIRO É UMA ENORMÍSSIMA VERGONHA NACIONAL
    O povo | 06.02.2019 | 18.11Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • A loucura à solta. Também outra coisa não era de esperar. Fecharam os manicómios e agora eles coitados, têm que andar por aí. Fixar músicos no interior? ahahahahahah e quem os alimenta? Eu? Eh pá! Mas eu já não oiço música, nem compro, há anos. Não deve ser com o meu dinheiro. Ah vais aos impostos? Então não se trata de fixar músicos, mas sim politicos, por isso é que o Costeca quer fazer a regionalização. Mas desses já há demasiado no interior a gamar, já chegam, não são precisos mais. Trabalhar? Não?
    Dono dos Burros | 06.02.2019 | 17.19Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE