PUBLICIDADE
Venezuela

Pais emigraram e deixaram os filhos na rua

11 | 02 | 2019   10.30H

Denúncias sobre necessidades alimentares e médicas são utilizados no discurso político para justificar a entrada de assistência humanitária na Venezuela. No bairro de Cátia, oeste de Caracas, a equipa de reportagem da Lusa encontrou vários casos dramáticos.

Cátia é um dos maiores bairros da capital, Caracas. Só ali, vivem perto de três milhões de pessoas, já incluindo as favelas à volta. É um bairro popular, conhecido por ser um barómetro social do país: quando ali as coisas começam a mudar, todo o país muda.

Glisel Salgado, assistente social, com 52 anos, trabalha num programa para a colocação de crianças abandonadas em famílias substitutas, na Fundação Mi Família, e é nesse contexto que lida com uma realidade muito preocupante: "Demos conta de que há agora muitas crianças institucionalizadas porque as famílias emigraram e deixaram as crianças na rua".

Destak/Lusa | destak@destak.pt

2 comentários

  • Aposto que alguns devem estar na Madeira a promoverem manifestações a favor do auto-proclamado presidente.
    Dono dos Burros | 11.02.2019 | 11.35Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • o p c gosta dessas situações esse é o mundo deles viver com as desgraças dos outros
    ze povo | 11.02.2019 | 10.39Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE