Actualidade

Ministério Público deixa cair acusações de tortura e racismo no caso da Cova da Moura

12 | 02 | 2019   14.10H

O Ministério Público (MP) deixou cair hoje as acusações de racismo e tortura nas alegações finais do julgamento de 17 agentes da esquadra de Alfragide, na sequência de incidentes em fevereiro de 2015, na Cova da Moura.

Nas alegações finais, hoje no Tribunal de Sintra, o MP considerou que os 17 agentes da PSP da esquadra de Alfragide não agiram com "ódio racial" nos incidentes.

Os 17 arguidos respondem por denúncia caluniosa, injúria, ofensa à integridade física e falsidade de testemunho, num caso que remonta a 05 de fevereiro de 2015, por supostas agressões a seis jovens, na Cova da Moura e no interior da Esquadra de Alfragide. A acusação do MP sustentava que os polícias agiram com ódio racial, de forma desumana, cruel e tiveram prazer em causar sofrimento.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE